Próxima
Assessoria
Ciência e Saúde » DaniFernandes
Dr. Tiago Silveira, Dermatologista, explica o que é a Alopecia e seus tipos
A excessiva queda de cabelo é um problema de alcance mundial
13/11/2017, 17h00- Atualizado em 20/11/2017, 18h09

Dr. Tiago Silveira

Se você está preocupado com a excessiva queda de cabelo, a primeira coisa a fazer é agendar uma consulta com o dermatologista ‒ preferencialmente, um dermatologista especializado em patologias do couro cabeludo, profissional este com o qual conversamos e que pode, por exemplo, nosso entrevistado, o Dr.Tiago Silveira, Dermatologista.

São diversos os fatores que podem originar a calvície, entre os quais podem constar a predisposição genética, certos distúrbios hormonais (como o hipotireoidismo ou hipertireoidismo), anemia/deficiências alimentares, estresse, uso de substâncias comprovadamente prejudiciais à saúde (como cigarro e anabolizantes), procedimentos químicos realizados nos salões de beleza, etc.

Somente a partir de exames laboratoriais e da avaliação clínica é que o médico da área poderá realizar o diagnóstico correto e indicar o tratamento mais adequado às necessidades de cada paciente, segundo as particularidades de cada caso.

Revista On - Fale sobre a Alopecia Areata:

Dr. Tiago Silveira -  A Alopecia Areata é um tipo de queda de cabelos, formando placas redondas ou ovais, lisas e sem pelo algum (“peladeira”), principalmente no couro cabeludo. Pode acometer qualquer área do corpo. Em alguns casos, pode haver perda total de todos os pelos do corpo, inclusive cílios. Esse problema é comum em cerca de 1 a 2% da população. A doença também pode trazer alterações no formato das unhas.

 

Revista On - Quais são as possíveis causas deste distúrbio?

Dr. Tiago Silveira  -  A causa da doença não é completamente conhecida, mas a teoria mais provável, é que ela seja uma doença autoimune, ou seja, seja uma doença causada pelas próprias células de defesa do organismo, que ataca seu próprio tecido, no caso, as células que formaram os pelos.

É muito comum a associação de Alopecia Areata com outras doenças autoimunes, principalmente problemas na tireoide. Por isso, é interessante que sejam feitos exames específicos nesses pacientes.

Essa Alopecia também tem relação muito forte com o quadro emocional do indivíduo. É comum que a doença se instale em quadros agudos de depressão e ansiedade; por outro lado, percebemos que a melhora do estado emocional do paciente vem acompanhada da melhora na queda dos pelos e crescimento dos cabelos.

Provavelmente a predisposição genética também é fator importante, já que uma em cada cinco pessoas com essa condição tem história na família da doença.

Revista On -  Atinge mais homens ou mulheres?

Dr. Tiago Silveira  - Atinge igualmente homens e mulheres, principalmente jovens.

Revista On  - Qual a diferença entre a Areata e a Androgenética

Dr. Tiago Silveira  - O termo Alopecia de forma geral se refere a perda dos cabelos ou calvície. Porém, a Alopecia Areata e a Alopecia Androgenética não tem nada a ver uma com a outra, nem clinicamente (seu aspecto) nem em suas causas e tratamentos.

A Alopecia Areata, como descrito, trata-se de doença inflamatória e auto-imune, com placas de “peladeira” pelo corpo.

A Alopecia Androgenética é a mais comum e tradicional calvície, que grande parte das pessoas tem; no caso dos homens manifesta-se com as entradas nas laterais dos cabelos e a falha no topo, no caso das mulheres há rarefação dos cabelos no centro do couro cabeludo.

 

Revista On  - Quais os sintomas?

Dr. Tiago Silveira   - Além das placas de “falha” (sem crescimento dos fios, em formato circular com pele lisa no fundo), os pacientes podem experimentar também alterações na unhas, coceira e couro cabeludo sensível. Muitas vezes também há crescimento espontâneo de fios brancos dentro das regiões afetadas.

Revista On   - Quais os melhores tratamentos?

Dr. Tiago Silveira  - Os melhores tratamentos incluem medicações anti-inflamatórias, como os corticosteroides, que podem ser usados na forma de passar, podem ser ingeridos via oral, ou ainda aplicados com injeções no local de perda de cabelos. Podemos utilizar também por via tópica: minoxidil, inibidores de calcineurina, antralina, difenciprona, etc.

Revista On   - Cite 04 dicas e/ou recomendações que possam melhorar o distúrbio:

Dr. Tiago Silveira:

1 – Suporte psicológico com psicoterapia e muitas vezes uso de medicação psiquiátrica, para controle de eventual quadro de ansiedade ou depressão;

2 – Alimentação saudável, rico em antioxidantes (vegetais coloridos), com auxílio na ação anti-inflamatória do tratamento;

3 – Procura rápida a um médico dermatologista, já que a Alopecia Areata pode ser progressiva até atingir todos os pelos do corpo! Por isso, é necessário diagnóstico e tratamento precoce, com maior chance de interromper o quadro.

4 – Ter calma e paciência! Ansiedade só piora a queda, e a maioria dos casos tem evolução favorável, muitas vezes com melhora espontânea, mesmo sem tratamento (ainda que seja urgente a avaliação do profissional especializado).

 

Dr. Tiago Silveira é Graduado em Medicina pela Universidade do Federal de Juiz de Fora (UFJF) , fez Residência médica em Dermatologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e possuiTítulo de especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, Associação Médica Brasileira e MEC.

Site: http://www.tiagosilveira.med.br

E-mail: silveiralimatiago@gmail.com

Facebookhttps://www.facebook.com/drtiagosilveira/

Instagram: tiagosilveiralima

Agendamento de consulta: 55+21.997294347 / 55+21.34294347

 

As opiniões emitidas no texto não representam a opinião da Revista On; a responsabilidade é do autor da publicação.
Caso julgue o conteúdo ofensivo, inverídico ou apresente informações erradas, entre em contato com o administrador.

Comentários
Publicidade
Mais lidas de Ciência e Saúde
Newsletter
Receba nossas novidades por e-mail