Redação
Economia » redacao
Na crise, brasileiros cortam refeições fora de casa
Segundo pesquisa da consultoria GS&MD, 3,5 bilhões de refeições foram feitas em restaurantes no 1º trimestre.
Publicada em 07/06/2017, 15h56

Com menos dinheiro no bolso por conta da crise, o brasileiro está cortando o número de refeições feitas fora de casa. É o que mostra uma pesquisa da consultoria GS&MD.

Segundo o levantamento, de janeiro a março deste ano, 3,5 bilhões de refeições foram feitas em restaurantes e lanchonetes no país – 100 milhões a menos que no primeiro trimestre de 2016.

"O emprego e a renda têm impacto importante nessa redução de tráfego, o consumidor está adotando um comportamento mais racional", avalia Eduardo Yamashita, diretor de inteligência de Mercado da GS&MD, responsável pelo estudo.

O número de trabalhadores desempregados chegou a 14,2 milhões nos três primeiros meses do ano, um índice de 13,7%, segundo o IBGE.

Por outro lado, o valor médio que cada consumidor gastou com alimentação na rua cresceu de R$ 12,60 para R$ 13,80 do primeiro trimestre de 2016 para o deste ano, o que fez com que o faturamento do setor saltasse de R$ 45,4 bilhões para R$ 48,4 bilhões na mesma comparação.

"Mas 80% desse aumento é decorrente de pressão inflacionária, o restante é o restaurante conseguindo acertar mais nas promoções para o cliente", pondera Yamashita.

 

Refeições principais e promoções

 

As maiores quedas foram registradas exatamente nas principais refeições que o brasileiro faz fora de casa: o almoço e o lanche da tarde. 

 

O consumidor também está procurando agregar mais benefícios a cada refeição que faz fora de casa.

 

De todas as refeições feitas pelos entrevistados no ano móvel que se encerrou em março de 2016, 34% estavam dentro de promoções de restaurantes, os chamados "combos" que oferecem desconto para quem compra refeição e suco, por exemplo. No mesmo período do ano anterior, essa parcela era de 32%.

 

"O brasileiro tem racionalizado seu consumo em restaurantes, buscando promoções. É claro que o estabelecimento vai ter que oferecer mais coisas para o cliente, mas ele gasta mais com promoção, o ticket médio aumenta", explica Yamashita.

No primeiro trimestre deste ano, o ticket médio das refeições promocionais ficou em R$ 16,22 – contra R$ 13,80 no geral.

"O estabelecimento que consegue entender o que o consumidor busca e tem ofertas é o estabelecimento que está ganhando [nesse cenário]", diz Yamashita.

A pesquisa é feita constantemente e ouve em média 200 pessoas por dia, ou 72.000 por ano. Os dados são processados a cada trimestre.

No Brasil, segundo dados da consultoria, 27% dos brasileiros fazem ao menos uma refeição fora da casa. Nos Estados Unidos, essa fatia chega a 52% e, na China, a 83%.

 
Fonte: G1
Comentários
Publicidade
Mais lidas de Economia
Newsletter
Receba nossas novidades por e-mail