Anterior
Redação
Mundo » redacao
Obama emociona em discurso de despedida
Ele defendeu legado de 8 anos e chorou quando falou de Michelle Obama.
Publicada em 11/01/2017, 13h50
O atual presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez um emocionante discurso de despedida. Obama defendeu o legado de oito anos de governo e chorou quando falou da primeira-dama, Michelle Obama.
 
No discurso de despedida de Barack Obama, o tom predominante foi o otimismo. "Eu deixo este palco mais otimista do que quando eu comecei", disse Obama, aplaudido de pé pela plateia de milhares de pessoas em Chicago, a cidade onde ele fez sua carreira política e onde, em 2008, fez seu primeiro discurso de vitória, falando em esperança.
 
A frase que marcou a campanha de 2008, “Yes, we can”, "Sim, podemos", foi o fecho do discurso de despedida. O momento de maior emoção, quando o presidente em fim de mandato enxugou lágrimas, foi quando ele falou da primeira-dama, Michelle.
 
"Michelle, nos últimos 25 anos, você foi não só minha mulher e a mãe das minhas filhas, mas você foi minha melhor amiga. Você assumiu um papel, que não pediu, e o fez seu modo, com graça, estilo e bom humor”, afirmou.
 
A grande expectativa em torno do discurso era o que Obama iria dizer sobre o sucessor, o presidente eleito Donald Trump. Seria agressivo, respondendo aos muitos ataques que Trump fez a ele e ao seu legado? Obama preferiu um tom sutil e conciliador.
 
Obama fez uma única referência a Trump. "Prometi ao presidente eleito que minha administração garantiria a transição mais suave possível, como o presidente Bush fez para mim". Ao ouvir o nome Trump, a plateia vaiou e Obama não gostou. "Não, não, não!", ele disse. E a vaia parou.
 
O presidente fez uma detalhada defesa do seu legado, agora ameaçado. "Se eu dissesse há oito anos que a América iria reverter uma grande recessão, recuperar a indústria automobilística, deflagrar a mais longa criação de empregos em nossa história, se eu dissesse que iríamos abrir um novo capítulo com Cuba, fechar o programa nuclear do Irã sem dar um tiro e matar o mandante do 11 de setembro, se eu dissesse que iríamos vencer na igualdade no casamento e garantir seguro de saúde para mais 20 milhões de cidadãos, vocês diriam que estávamos querendo demais, mas foi o que fizemos. Foi o que vocês fizeram. Vocês são a mudança”, disse.
 
Obama, de modo sutil, animou seus seguidores a resistirem ao futuro governo Trump. "Se você está cansado de discutir com estranhos na internet, vá discutir com eles na vida real", ele disse. "Se quer mudar alguma coisa, amarre os sapatos e vá organizar um protesto. Se não gosta dos políticos eleitos, vá se candidatar. Apareça. Meta a cara. Tenha perseverança", completou. Mais que um discurso de despedida, foi um convite à luta.
 
 
Fonte: G1
Comentários
Publicidade
Newsletter
Receba nossas novidades por e-mail