Redação
Especial On » FredNogueira
Fotos mostram Três Rios em 360º. Conheça a técnica
Flávio Duarte explica como fez as fotos.
Publicada em 13/04/2013, 12h30

Fotografias carregam histórias, emoções, lembranças e sentimentos. Além disso, muitas apresentam um ponto de vista único, um olhar diferenciado de alguém que deu atenção especial ao que antes passava como comum. Se mostrar fotos e contar histórias já é bom, imagina interagir com elas. Isso é possível com as fotos em 360º. E elas estão mais perto que pode imaginar.

O fotógrafo Flávio Duarte, autor de fotografias que registram Três Rios e estão nas páginas da nova edição da Revista On (#14, que chega às bancas na próxima semana), utilizou a técnica para retratar a cidade e região. “Não me lembro de uma pessoa que viu e não se encantou. Ela desperta um interesse muito grande até mesmo pela interação que permite”, diz.

O primeiro contato que teve com a fotografia em 360º foi através de um amigo que comprou um equipamento usado e começou a fazer como hobbie. “Fiquei encantado. Como sempre procuro estudar aquilo que vejo e aprimoro a técnica, foi assim com esse caso também. Fiquei fascinado com aquilo. A foto panorâmica de 180 graus é mais comum, já a de 360 é mais rara”.


 

A que registra a Praça São Sebastião, no centro de Três Rios, foi a primeira. “Depois fiz a de Matozinhos (Paraíba do Sul), que mostra o potencial forte deste tipo de fotografia, que apresenta o ambiente com detalhes. Mostrar uma igreja, um museu, um projeto imobiliário desta forma fica muito bom”, garante.

Para o resultado final ser perfeito, o trabalho é grande e há necessidade de acessórios específicos. “São várias fotos e você tem que fotografar todo o ambiente de maneira que consiga mostra-lo todo. Depois precisa ‘costurar’ isso e, às vezes, tem que usar quatro programas para chegar ao resultado final. No momento da fotografia, também são necessários cuidados, como estar atento aos reflexos”. Além de mostrar paisagens com detalhes, a fotografia em 360 graus é uma opção para atrair atenção de clientes, como acessório a mais em um site de empreendimento do ramo de construção civil que precise mostrar um imóvel, por exemplo.

Se fazer a foto utilizando um tripé já exige estudos, aprimoramento e muito trabalho, Flávio Duarte passou por mais um desafio ao conseguir um resultado que apresenta Três Rios vista do céu. “Hoje há bastante gente fazendo fotos em 360 graus, mas poucos fazem as aéreas. Tem que haver uma parceria muito grande entre o fotógrafo e o piloto. Para fazer uma foto no solo, tenho um eixo fixo com um instrumento de precisão. Naquela foto, eu fico para fora da aeronave e ele (no caso, o piloto Rui Kakazu) me dá o eixo. Ele tem que fazer o giro e não perder o eixo”. O resultado você confere abaixo e, para ver outros trabalhos, clique aqui.



 

Comentários
Publicidade
Newsletter
Receba nossas novidades por e-mail